26 junho Casa Brasileira João Pessoa patrocina live especial da cantora Samya Maia

Samya Maia

A Casa Brasileira é mesmo a cara do país. Alegre, aconchegante e cheia de regionalidade. E para celebrar uma das principais datas da identidade do povo nordestino, a Casa Brasileira João Pessoa acaba de anunciar a participação na live especial de São João da cantora Sâmya Maia. “Estou muito feliz com a parceria com a Casa Brasileira, uma empresa que preza pelo atendimento de excelência e qualidade dos produtos. Confio demais na marca, que tem uma filosofia que eu acredito”, diz Samya Maia.

 

 

A marca tem o propósito de valorizar este momento tão significativo para a cultura da região, mesmo que virtualmente. O evento on-line acontece no dia 27 de julho, às 16h, no Youtube da artista. A transmissão terá como tema “São João como antigamente” e contará com músicas que fazem parte do São João raiz com forró, xote, xaxado e baião. “O nosso festejo terá canções que marcaram a história de muitas pessoas. Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Elba Ramalho e Eliane são alguns dos artistas que serão homenageados com suas músicas na live, além das bandas Magníficos, Mastruz com leite, Cavalo de pau, Calcinha Preta e Limão com Mel”, adianta Sâmya. A artista receberá ainda as cantoras Gil Mendes e Samyra Show. “Será um momento muito especial. Vamos fazer o público recordar as melhores festas juninas das suas vidas”, afirma a artista.

 

 

Sobre a Casa Brasileira – A loja faz parte da Unicasa, fabricante das marcas Dell Anno, Favorita e New. Localizada em Bento Gonçalves (RS), a empresa possui um dos mais modernos parques fabris da América Latina, com mais de 50 mil m² de área construída e maquinário com a mais alta tecnologia.

 

Em João Pessoa, a Casa Brasileira fica na Avenida Edson Ramalho, 44, em Manaíra. Para mais informações, os telefones são (83) 3507-2822 e (83) 99182-0069. No instagram, @casabrasileira.joaopessoa . O site é https://www.casabrasileiraparaiba.com.br

25 junho André Mussalem comemora cinco anos de carreira com lançamento de Distopia – O Álbum

André Mussalem

O músico, cantor e compositor de Pernambuco, André Mussalem, lança seu terceiro álbum “Distopia”, no próximo dia 22 de junho. O disco estará disponível em todas as plataformas de streaming e é produto de um projeto que vinha sendo lançado digitalmente através de EPs intitulados “A Vida Segue” e “Estado de Emergência”. A consolidação de Distopia – O Álbum, composto por 10 faixas, comemora cinco anos de carreira do músico e traz também duas músicas inéditas “Nenhum Deus” e “Terça Feira”, essa última baseada em um conto de Caio Fernando Abreu. O material e deverá ganhar uma versão em vinil até o final do ano.

 

Para Mussalem, “Distopia – O Álbum” é mais que um aglomerado de músicas, mas um projeto de construção lenta em dois anos de retrocessos políticos, humanitários e sanitários e que culmina em um álbum de vinil com um projeto gráfico que remete tanto às composições quanto ao estado de coisas vivenciadas no mundo inteiro.

 

O álbum, gravado em Recife, Rio de Janeiro, Lisboa e Salvador, foi dirigido e arranjado pelo maestro e bandolinista Rafael Marques, continuando uma parceria que surgiu desde o primeiro álbum de Mussalem, e conta com músicos como Alexandre Rodrigues (nos sopros), os acordeons de Júlio César e Johnanthan Malaquias; as guitarras de Felipe Guedes, Renato Bandeira, Rodrigo Samico e Juliano Holanda, os baixos de Jefferson Cupertino, Caca Barreto e Júnior Areia; as percussões de Júnior Teles, Lucas dos Prazeres e Jerimum de Olinda; a bateria de Yacauã Bastos; os pianos de Zé Manoel e Maurício Cézar; o bandolim, o cavaco e a viola de Rafael Marques e o trombone de Nilson Amarante.

 

O dico abre com “Cinema, Democracia e Cartões Postais”, cujos vocais são divididos com o também cantor, músico e compositor pernambucano Zé Manoel em uma música que foi considerada um dos destaques de 2020 pelo principal coletivo de radialistas independentes do Brasil, o Radialivres. Em seguida, Mussalem nos apresenta a inédita “Nenhum Deus”, um ijexá que esconde uma resposta à famosa entrevista póstuma de Heidegger (que afirma que “apenas um deus poderá nos salvar”) e uma alusão à ética da alteridade de Levinas. Tem a participação, na guitarra, do músico Felipe Guedes uma das revelações da música instrumental soteropolitana e que já tocou com Caetano Veloso.

 

A terceira música do álbum, “Sobre a Importância dos Artistas” é um frevo-jazz que evoca a falta de importância dada aos artistas brasileiros, colocando-os como desnecessários, quando, no entanto, a vida só é possível a partir da arte. Mussalem divide os vocais com a cantora e compositora pernambucana Isadora Melo. “Terça-Feira” é a segunda faixa inédita do álbum. Trata-se de uma adaptação do conto “Terça-Feira Gorda” do escritor Caio Fernando Abreu. A música remete à tragédia homoerótica construída por Caio em que há um assassinato decorrente de homofobia, em pleno carnaval. A faixa questiona o momento da própria Distopia e tem as participações de Rodrigo Pinto, Professor de Letras e vocalista da banda Saturno Diamante e do artista Gonzaga Leal, que conheceu e se correspondeu com Caio.

 

“Transtorno de Ansiedade Generalizada” é a quinta faixa do álbum e fala sobre uma condição psicológica do próprio autor, sua distopia pessoal. O vocal é dividido com a cantora e compositora pernambucana Isabela Morais. A sexta faixa do álbum é um xote, inspirado nas parcerias de Dominguinhos e Gilberto Gil: Exílio nº 5. A música faz referência às pessoas que estão saindo do país em função da degradação da democracia e é, ao mesmo tempo, uma canção de amor rasgado, com a participação do músico pernambucano Martins. Idade Média é a sétima faixa de Distopia. A canção, um samba-bolero cantada apenas por Mussalem, faz referência aos tempos obscuros que vivemos com uma série de imagens que são uma metáfora ao nosso hoje. Aqui, Mussalem volta a fazer uma relação com a literatura, ao declamar um trecho do “O Conto da Aia” da escritora canadense Margaret Atwood.

 

“Gente de Bem” é um frevo baiano que tem a participação da artista Flaira Ferro e que traz uma crítica ácida ao sujeito da Distopia: o “cidadão de bem”. Leão (esse tempo vai passar), outro ijexá que consta do álbum, com a participação da cantora baiana Illy, fala sobre a necessidade de sairmos do estado de Distopia e continuarmos seguindo nossas vidas com esperança nas estrelas. Apesar de Leão fechar formalmente o álbum, resta ainda “Brasil 17 de março de 2021”, uma carta para os que foram embora do país, nos moldes de “Meu Caro Amigo” de Chico Buarque, mas em uma posição inversa, em que o remetente pede boas notícias que virão, quiçá, do futuro.

 

 

André Mussalem

Compositor e cantor pernambucano, iniciou sua carreira profissional em 2016 com o lançamento do álbum “No Morro na Minha Cabeça” que foi sucedido por “Polis” (2018). Em 2019, iniciou a trajetória do projeto “Distopia” que se consolidou no seu terceiro álbum. Suas composições possuem forte ligação com a atualidade, funcionando como um cronista do seu tempo, fato atestado por diversas críticas sobre seu trabalho. Em sua ainda curta trajetória recebeu premiações, fez shows em Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, participou de diversos programas de rádio pelo país, de importantes festivais como o Faro, no Rio de Janeiro, e de programas televisivos nacionais como o Cultura Livre.

21 junho Embaixada da França e Coquetel Molotov comemoram a Fetê de lá musique no Brasil

Linn da Quebrada

A Embaixada da França no Brasil e a rede de Alianças Francesas no Brasil se uniram à turma pernambucana do Coquetel Molotov e juntos comemoram hoje, dia 21/6, a Fête de la musique no Brasil. O projeto tem o apoio do Institut Français e do Centre National de la Musique na França. A festa à céu aberto, que já virou tradição em terras francesas, acontece sempre no solstício de verão desde 1982, reunindo amadores e profissionais da música de diferentes ritmos e tribos. Como ainda não podemos comemorar nas ruas por aqui, um documentário especial sobre as relações musicais entre Brasil e França será lançado às 19h nos canais de YouTube da Aliança Francesa Brasil e do Coquetel Molotov.

Link: https://youtu.be/Y5li5FNI4wI

 

Estrelado por L’Homme Statue – duo de Loïc Koutana, franco-africano radicado em nosso país, e o Dj e produtor brasileiro Zopelar – o filme dirigido por Olivia Lang, com produção criativa de Rodrigo de Carvalho traz entrevistas, performances e números musicais de artistas brasileiros, como Linn da Quebrada e Yndi da Silva. O doc traz também a cantora Laure Briard e a fotógrafa e DJ Thí-Léa.

 

 

Criada com o objetivo de dar livre acesso à cultura, a Fête de la musique é um evento popular por excelência, com as ruas da França se preenchendo de artistas emergentes e consagrados para celebrar juntos o início do verão no hemisfério norte. Ao longo de quase 40 edições, a festa se internacionalizou e é organizada, agora, no mundo inteiro.

 

“Para esta edição, que será virtual, ainda marcada pelo contexto sanitário, desejamos perpetuar este espírito aberto, democrático e festivo, assim como inovar, a fim de incentivar o encontro das culturas francesa e brasileira em toda sua diversidade. Espelhando as Festas Juninas, que acontecem também anualmente no Brasil em junho, propomos um evento unificador, popular e de qualidade. Diferentes formatos, artistas e estéticas serão homenageados, refletindo a efervescência que anima os cenários musicais franceses e brasileiros de hoje. Este festival se coloca como uma pedra fundamental para preparar a recuperação musical pós-pandemia”, acredita Vincent Zonca, adido cultural na Embaixada da França.

 

 

Ana Garcia, diretora do Coquetel Molotov, afirma que se sente lisonjeada em criar esse olhar diferente sobre a Fête de la musique e destaca que o festival sempre teve uma relação forte com a França. “Desde 2006 trazemos artistas de lá para tocarem e realizarem turnês pelo país em parceria com a Embaixada da França no Brasil, o Institut Français e a Aliança Francesa. Artistas como Hindi Zahra, Sebastien Tellier, Soko, La Femme e muitos outros vieram pela primeira ao Brasil por causa da nossa parceria”, lembra.

 

 

Loïc Koutana, do L’Homme STATUE acredita que o fato de ser um artista preto, LGBTQIA+ trará um novo ponto de vista para essa relação. “Isso me faz vivenciar tudo de forma diferente da visão tradicional de um francês no Brasil”, afirma. “São dois países que se completam naturalmente com respeito e admiração mútuas entre as culturas. Eu como franco-africano achei meu compromisso de vida no Brasil e me sinto um pouco na África e um pouco na Europa aqui”, opina.

 

 

E é exatamente as semelhanças, mesmo dentro de uma efervescente diversidade cultural, que se baseia o documentário em comemoração à Fête de la musique. Um abraço artístico apertado entre Brasil e França, mesmo em tempos de pandemia.

 

 

Ficha técnica

Produtora: Moonheist

Direção: Olivia Lang

Direção Criativa: Rodrigo de Carvalho

Produção: Henrique Carvalhaes, Ariel Hidal, Willy Hajili e William Kim

Fotografia: Milena Seta

Arte: Josephine Cho

Som direto: Rafael Gonzaga

Assistentes de câmera: Vini Piran e João Lucas Carvalho

Montagem: Ana Moraes

Finalização: Rodrigo de Carvalho

Direção e curadoria: Ana Garcia

Supervisão de projetos e programação: Jarmeson de Lima

Coordenação geral: Maria Júlia Izidoro

Produção executiva: Mariana Florentino

Produção Criativa: Moka (João Izzidio, Emannuel Alves, Marcela Nunes)

Coordenação de comunicação: Marcela Nunes

Design e Identidade Visual: Matheus Oliveira

Redes sociais: Brenda Coelho

Equipe criativa e redes sociais: Aslan Cabral

Editor de vídeo: Carlos Ernandes

Assessoria de Imprensa: Jorge Velloso

Realização: Coda Produções

Patrocínio: Embaixada da França no Brasil, Aliança Francesa no Brasil e Institut Français

Parceiros de mídia: S.O.M., Mídia Ninja

Player oficial: Deezer

18 junho Idealizado pelo jogador Hulk e pela Construtora Massai, Hotel Ba’ra será entregue no segundo semestre de 2022

Hulk

Um empreendimento único, que integra natureza, tecnologia e muita inovação. Assim será Ba’ra Hotel, resultado da parceria entre a Construtora Massai e o jogador de futebol paraibano Hulk. Localizado no Cabo Branco, bairro nobre que se destaca por ser cercado de belezas naturais, o hotel está com obras em ritmo acelerado e a previsão de entrega é em maio de 2022.

 

O Ba’ra – que significa mar em tupi-guarani – conta com um design inovador, que busca priorizar a natureza, com muito verde e luminosidade natural. Para Allison Nunes, sócio-diretor da Massai, as expectativas para o hotel são as melhores, assim como a dedicação para a conclusão de um projeto tão grandioso. “O ano de 2022, com certeza, será muito especial para todos nós. A Massai está muito feliz por trazer um empreendimento que vai agregar muito para o mercado turístico paraibano, que merece o melhor que podemos oferecer”, declara Allison. Até setembro de 2021, o empreendimento será estruturado e trabalhado em pré-operação para em seguida ser lançado no mercado.

 

Projeto exclusivo – Assinado pela Plan B, escritório colombiano premiado internacionalmente, o hotel é resultado da união impecável entre natureza e cultura. O projeto permite o contato entre os hóspedes por meio de pontes desenvolvidas entre as 124 suítes em formato de célula independente. Um encanto a parte, o hotel contará uma diversidade de plantas com variadas cores e texturas trazendo a colaboração perfeita entre a vista para o mar e o contato com a flora, proporcionando uma experiência única e inesquecível.

 

Suíte decorada – Em busca da total excelência, o hotel possui uma espécie de “quarto-teste” para experimentação. Foi montada uma unidade completamente equipada, com banheiros concluídos e enxoval, para que a equipe responsável pelo projeto estudasse todos os detalhes para uma satisfação completa dos hóspedes. Na suíte, estão sendo testadas diariamente iluminação, temperatura e demais elementos para uma estadia confortável e inesquecível.
Para acompanhar as novidades, o perfil no Instagram é @barahotel. Para informações sobre a Massai, o  Instagram é @massaioficial. A maquete do projeto pode ser conferida na sede da Massai, localizada na rua Monteiro da Franca, em Manaíra.
17 junho “Dancinha do Tik Tok”, parceria de Rafael Dono com Henry Freitas é lançada nesta sexta-feira (18)

Rafael Dono e Henry Freitas

“Se teu ex te ligasse você voltaria? Responde aí fazendo uma dancinha”, são versos da nova parceira do cantor paraibano Rafael Dono com o amigo e músico Henry Freitas. “Dancinha do Tik Tok” foi escolhida para ser o primeiro lançamento do EP de Rafael apenas de canções autorais, e estreia acontece nesta sexta-feira (18), ao meio dia, no YouTube. “O aplicativo de vídeos, que se popularizou pelas coreografias, recebeu uma homenagem que promete agradar o público fã de redes sociais”, acredita Rafael.

 

A parceria com Henry Freitas começou no fim de 2020 quando lançaram a música ‘Thaís’, que alcançou mais de 200 mil visualizações no YouTube. “Ficamos muito amigos, e surgiu a ideia de gravar um DVD de forró e outro com músicas autorais. Desde que lançamos a primeira música, muitas foram oferecidas e escolhemos sete que tinham mais o estilo que quero, mais swingado e a “Dancinha do Tik Tok” me chamou muito a atenção, por isso foi escolhida para ser a primeira”, lembra.

 

Música da Paraíba — “Dancinha do Tik Tok” é uma composição dos paraibanos, Suheudo Lima e Victor Rodrigues. Os compositores também estarão presentes em outras canções do EP, como a ainda inédita “Vermelhinho”. Rafael explica que recebeu canções de artistas do Brasil inteiro. “Foram mais de 250 músicas. Algumas já vêm desde o CD anterior, mas como ‘Thaís’ fez muito sucesso, focamos nela e deixamos as demais para trabalhar futuramente. Chegou o momento de lançar essas composições”, destaca.

16 junho Single Eu também quero beijar, de Ciel, ganha clipe sensual e cheio da tropicalidade do agreste pernambucano

Em parceria com Patricktor4, Ciel lançou como single a releitura do clássico Eu também quero beijar, de autoria de Pepeu Gomes, Moraes Moreira e Fausto Nilo. A música ganhou clipe que estreou em junho e está disponível no IGTV do artista @cielsantos (link: https://www.instagram.com/tv/CPdQcJJj-WJ/?utm_source=ig_web_copy_link)

 

Gravado no formato vertical, o vídeo tem como principal referência a vida que já existia nas redes sociais e que ficou ainda mais forte com o consumo de challenges, virais e a diversidade de pessoas e linguagens que precisaram se comunicar e fortalecer através da arte durante o momento de pandemia em que vivemos.

Ciel nos convida para o seu universo digital cheio de alegria, sensualidade e tropicalidade. O cantor explora variadas versões de si, passeando por suas referências na moda, cultura popular e movimento Queer.

 

Este é o primeiro single do artista vinculado ao selo musical CALOOR record e busca uma sonoridade onde o pop dialoga com a cultura popular. A faixa tem arranjo de Leo D e foi construída unindo elementos de ritmos afro-brasileiros, instrumentos orgânicos e beats eletrônicos.

 

Ciel vem ganhando espaço dentro do cenário artístico e este single marca uma nova fase na sua carreira. Tem lançamento agendado para o dia 05/03 e celebra a liberdade, a alegria de amar e beijar quem você quiser e sentir vontade.

 

“Quero ver as pessoas dançando, cantando e amando sem amarras. A música é uma ferramenta importante para seguir a vida! Com Eu também quero beijar, conseguimos uma mistura leve, sensual e com a tropicalidade agrestina que carrego em mim.”, comenta Ciel.

14 junho Milagre Sertão lança coleção de bolsas recicláveis que unem beleza, sustentabilidade e responsabilidade social

Renata Uchôa

Com design moderno, unissex e atemporal, a Milagre Sertão apostou na moda para arrecadar recursos para as ações da ONG. As bolsas, que acabam de ser lançadas em uma campanha especial com a influenciadora digital Renata Uchôa como modelo, são produzidas em material reciclado, resistente, impermeável e com fibras sintéticas. Disponíveis em três estampas que trazem elementos e cores características do sertão paraibano, as bags podem ser usadas de ambos os lados e em diferentes ocasiões do dia a dia.

 

As bolsas são produzidas pela Dobra, loja de embalagens sustentáveis que utiliza 30% de material reciclado na sua composição. A marca faz a reciclagem por meio dos produtos que seriam descartados pelos clientes, sendo assim, um produto 100% reciclável e uma alternativa para reduzir as sacolas de plástico para compras. Os modelos já estão disponíveis no site da lojinha (lojinhadomilagre.iluria.com) e podem ser enviadas para todo o Brasil.

 

Campanha – A influenciadora digital Renata Uchôa estrelou a campanha de divulgação, que tem como proposta unir beleza, sustentabilidade e responsabilidade social em um produto versátil e funcional. As fotos são assinadas por Thayse Gomes, com produção de beleza por Renata Pinto.

 

Como adquirir – Para comprar as bolsas, basta acessar o site da lojinha (lojinhadomilagre.iluria.com) ou o instagram @lojinhadomilagre.

A ONG Milagre Sertão fica na Rua Antônio Rabelo Júnior, nº 81 Sala 01 e 02 – Miramar. Outras informações, no site milagresertao.org/, no (83) 3021-9891 e no insta @milagresertao .

13 junho Trilha sonora

O jovem empresário Paulo Maroja – que também é DJ nas horas vagas acaba de lançar uma nova playlist no Spotify exclusiva para o Selecta! Aperta o PLAY!

12 junho Saiba como ajudar a ONG Milagre Sertão no Paraíba Restaurant Week

A ONG Milagre Sertão será beneficiada em mais uma edição da Paraíba Restaurant Week, um dos maiores festivais gastronômicos do mundo. Pelo terceiro ano consecutivo, os clientes que participarem do evento poderão aproveitar o melhor da gastronomia paraibana e ainda contribuir com a causa social. O evento acontece até 27 de junho em 27 restaurantes de João Pessoa e Bananeiras.

 

“O evento nos permite estar presente na mesa de potenciais doadores, trazendo não só arrecadação imediata, mas também a possibilidade de termos nosso trabalho conhecido pelo público participante”, diz Rodrigo Bittencourt, voluntário da ONG.

 

Edições anteriores – Nos primeiros anos de evento, o Milagre Sertão arrecadou aproximadamente R$ 19 mil. “A iniciativa é uma vitrine para as pessoas conhecerem o nosso trabalho. As doações são muito importantes, pois são fonte determinante para a execução das ações que beneficiam famílias carentes no interior da Paraíba”, detalha Rodrigo.

Bom exemplo – Na edição de 2020, inspirados pela iniciativa, houve empresas que doaram à ONG o valor maior que arrecadaram. Foi o caso do Meat Up Açougue e Restaurante, que repassou o valor dez vezes maior do que foi arrecadado. Sobre a participação no evento, o proprietário do estabelecimento, Tullio Martins, destaca que a atitude faz parte da essência do restaurante. “É a nossa missão atuarmos para uma sociedade melhor. Fizemos porque entendíamos que poderíamos ajudar”, diz Tullio.

 

O festival conta com restaurantes que montaram um menu especial com entrada, prato principal e sobremesa por um valor fixo de R$48,90 no almoço e R$59,90 no jantar. Ao pedir a conta, os clientes podem contribuir com a ONG Milagre Sertão doando R$1. Confira a lista dos participantes no https://maitredigital.com.br/paraibarw .

 

Sobre o Projeto Milagre Sertão – A partir da iniciativa de um grupo de jovens para levar mantimentos às famílias do interior paraibano surgiu a ideia do Projeto Milagre Sertão. A primeira ação aconteceu de forma espontânea e se tornou fonte de inspiração e incentivo para uma pesquisa maior sobre o tema, que revelou as causas reais das necessidades existentes. Fundada em 2013, com sede em João Pessoa, a ONG promove soluções eficazes no desenvolvimento de sistemas sustentáveis por meio do empoderamento das famílias que sofrem com os efeitos da seca levando doações de alimentos, roupas, brinquedos e outros itens de necessidade básica, além de oferecer serviços de apoio à comunidade, como temas em empreendedorismo, soluções agrícolas e atendimento médico-odontológico.

 

A ONG Milagre Sertão fica na Rua Antônio Rabelo Júnior, nº 81 Sala 01 e 02 – Miramar. Outras informações, no site milagresertao.org/, no (83) 3021-9891 e no instagram @milagresertao.

09 junho Informe Jurídico por Matheus Maia

Matheus Maia com seus sócios João Neiva e Robson Cananéa Filho

Você sabia que é possível a penhora judicial de investimentos realizados no mercado de ações?

 

“Pois é! Desde 2018, o Banco Central já havia incluído no “BacenJud” alguns bancos e corretoras – que movimentam ativos financeiros – no rol das instituições sujeitas ao sistema, que interligava o Poder Judiciário ao Banco Central e essas entidades financeiras, possibilitando a emissão de ordem judicial para bloquear, desbloquear e transferir valores da conta do pesquisado.

 

Hoje, esse mesmo procedimento é realizado pelo SISBAJUD (Sistema de Busca de Ativos do Poder Judiciário), que aprimorou o sistema antigo e renovou a possibilidade da penhora judicial de valores constantes da conta corrente, como ativos mobiliários, títulos de renda fixa e ações.

 

É importante ressaltar que para haver a penhora judicial das aplicações financeiras pessoais do sócio administrador de uma empresa, é necessário que ocorra a desconsideração da personalidade jurídica, quando se tratar de empresa com responsabilidade limitada.

 

Fique atento!”

Selecta Club no Instagram