10 outubro

Lisboa 24h com Thiago Ferreira

Lisboa 24h com Thiago Ferreira

O  empresário e publicitário Thiago Ferreira morou por um ano em Portugal, é filho do português Alfredo – é, o da Adega – e acredita que existem bons motivos para trocar a Torre Eiffel pela Torre de Belém. Se você já organizou sua viagem pela Europa, ou não acredita no que Thiago afirma, não se preocupe, ele indica um roteiro de como aproveitar Lisboa em apenas um dia.
 
9h-12h: As tascas
Se você gosta de beber, visite as tascas (buteco),  onde se pode tomar sempre uma imperial (chopp) bem gelada ou uma ginja (licor típico) pra ajudar na digestão. Existem tascas pela região do Rossio e Baixa-Chiado, todas são parecidas e é difícil dizer qual é a melhor. Na dúvida,  escolha pela que tiver o maior número de senhores de boina bebendo. Ah, sempre tem algum petisco muito bom,  se ver um enchido de porco preto, aproveite.
 
12h-19h: Almoçando várias vezes por dia
Você sempre vai parar pra comer alguma coisa, aproveite que a maioria dos percursos dá pra fazer andando e coma sem culpa. Aproveite os restaurantes de frutos do mar: amêjoas(marisco), camarão tigre, sapateira (carangueijo de alto mar servido com molho de cerveja e mostarda) e se for no verão não deixe de provar as sardinhas, que nessa época são vendidas em braseiros no meio da rua. Tudo acompanhado de um vinho verde gelado e seguido de uma bica(café) e um pastel de nata. Agora se você quer comer um bom Bacalhau, vá na Adega do Alfredo aqui mesmo em João Pessoa (meu pai não pediu pra escrever isso, juro), não sou eu que estou dizendo, mas sim uma centena de clientes que já fizeram a comparação.
 
19h-21h: Miradouro
Ao entardecer toda cidade parece que recebeu um daqueles filtros do Instagram, o que junto com os bondinhos, os prédios antigos e a grande quantidade de hipsters por todos os lados, fazem do passeio uma viagem no tempo. Aproveite os “miradouros”: são vários de onde pode se ver a cidade do alto, apreciar um belo pôr do sol e tomar mais imperiais ou uma boa sangria. Recomento 3: o miradouro de Santa Catarina, o da Graça e o de São Pedro de Alcântra.
 
 
21h-3h:O Bairro Alto
Durante o dia você encontra lojas descoladas, ateliês e mochileiros procurando por um albergue de última hora. Mas é durante a noite quando suas centenas de bares e restaurantes abrem, que as ruas ficam cheias. Uma dica é adicionar Bob Ferraz no Facebook e dizer que ouvir falar que ele é o maior conhecedor do Bairro Alto.
 
3h-7h – Uma noite de muito fado, só que não
Siga o fluxo que começa às 2 da manhã, um pouco antes do bairro fechar. Provavelmente você irá bater em alguma noitada no Cais do Sodré, ou  Alcântra, onde a maioria dos lugares são clubes noturnos pequenos de música eletrônica e indie. Uma boa opção é pegar um táxi e ir pra a Lux. Vale muito a pena conhecer o lugar, seja pela música, pelo ambiente ou pelo imenso terraço a beira do Tejo. 
 
 
7h-9h – Saudade
A essa hora você deve estar um tanto embriagado, portanto pegue logo um táxi para o Aeroporto se não vai perder o seu voô. Aproveite a longa conversa do táxista sobre porque o Cristiano Ronaldo é melhor que o Messi, amanhã você vai acordar com uma grande ressaca e arrependimento por não ter passado mais uns dias em Portugal. 
 

Selecta Club no Instagram