21 junho

Cura gay?

Cura gay?

Marianna Chaves

 Um dos pontos mais discutidos nesta semana, em meio a manifestações, foi o projeto de lei que fala sobre uma tal "cura gay". Não há como negar que se trata de um projeto bastante infeliz – mas, para esclarecer melhor, procuramos uma pessoa que super entende do assunto. A advogada paraibana Marianna Chaves, que é referência em Direito e Homoafetividade no Brasil, é quem dá a deixa sobre o assunto. Confira a opinião dela (com a qual concordamos – e muito!):

"Eu acho que o Feliciano se aproveitou que o foco popular estava nas manifestações e, na surdina, aprovou esse absurdo. Como esse projeto de lei ainda tem que passar por outras comissões como a Comissão de Constituição e Justiça, dificilmente isso irá para a frente, inclusive porque afronta a nossa Constituição e representa um retrocesso inimaginável. A homossexualidade foi retirada da classificação internacional de doenças em meados dos anos 90. Essa Resolução do Conselho Federal de Psicologia que ele deseja modificar é de 1999 pra vocês terem ideia. Acho que qualquer pessoa com qualquer sofrimento  psíquico pode e deve procurar ajuda terapêutica. O que não se pode – e é isso que ele tenta – é patologizar uma condição natural. Não se pode querer que se "cure" o que não e doença. O que o Feliciano demonstra dia após dia é desconhecimento cientifico e uma postura homofóbica , baseada em seu fundamentalismo religioso, esquecendo que vivemos em um Estado laico."

Selecta Club no Instagram