14 novembro Foto top da semana

A foto que conquistou o posto de top da semana aqui no Selecta foi a de João Guilherme (Instagram: @guijones) em Barra de Camaratuba, na Paraíba. Show!

14 novembro Thiaguinho apresenta turnê “Vibe” pela primeira vez no Recife

Thiaguinho

Com um público fiel em Pernambuco, o cantor Thiaguinho chega ao Recife no dia 30 de novembro, para apresentar pela primeira vez a sua turnê “Vibe”, lançada em setembro, no Rio de Janeiro. Atração confirmada no ‘Ultimo Samba do Ano’, no Memorial Arcoverde, ao lado do Centro de Convenções, o show contará com músicas do novo álbum, que leva o mesmo nome da turnê, como “Deixa tudo como tá”, hit com mais de 10 milhões de visualizações no youtube, “Qualquer versão” e “Coração de casal”.

 

Com 12 novas canções, o público ainda poderá conferir “De 0 a 10”, “Calma, calma” e “Se cuida”. Sem esquecer os outros grandes hits do artista, sucessos como “Ponto fraco”, “Ainda bem” e “Domingando” já foram confirmadas na ocasião. Com produção de Augusto Acioli, a festa também contará com shows completos de Ferrugem, que estará lançando o seu novo DVD ‘Chão de Estrelas’, e Belo. Os ingressos custam R$ 60 (área VIP) e R$ 140 (open bar), à venda nas lojas Figueiras Calçados, nos principais shoppings da cidade, e no site da Bilheteria Digital.

13 novembro Férias

Pablo Porto

Quem está afivelando as malas para passar as férias em João Pessoa (sua cidade natal) é o querido  Pablo Porto – que atualmente está residindo em Belo Horizonte. Já estávamos com saudades!

12 novembro Molotov Negócios tem início nesta quarta-feira reforçando conexão da música e mídias com o mercado do país

Na semana que realiza sua 16ª edição com shows no Caxangá Golf Club, o festival No Ar Coquetel Molotov promove pelo segundo ano consecutivo, o Coquetel Molotov Negócios, no Apolo 235, com apoio do SEBRAE e parceria do Porto Digital, Porto+ e da Associação Brasileira de Música Independente – ABMI. Na programação do evento, que ocorre entre os dias 13 e 15 de novembro, estão agendados talks sobre música e economia criativa com a presença de profissionais da área digital como Pedro Vilhena (Facebook/Instagram), Dani Ribas (DataSIM), Carlos Mills (ABMI), a influencer Irmã Zuleide e os jornalistas Luccas Oliveira (O Globo) e Tony Aiex (TMDQA), entre outros.

 

Nos dois primeiros dias, a programação começa às 16h com debates e palestras com convidados especiais. Um dos debates aborda as estratégias de difusão e divulgação dos lançamentos de discos atrelados aos shows, contando com a presença das produtoras Melina Hickson e Ana Paula Verissimo e dos produtores Maurício Spinelli e Mazili, tendo mediação de Cássio Uchôa (Universitária FM). No dia seguinte, uma das mesas redondas apresenta a voz e a estética dos sons da periferia com a participação de Bione, Luiz Lins e Ojuara mediado pela jornalista Lenne Ferreira.

 

Já no dia 15, o evento recebe o projeto Giro ABMI trazendo oficinas, cujo foco é o de otimizar o uso das novas ferramentas digitais para profissionais da música. Após sete anos de experiência na organização da conferência internacional Rio Music Market, a Associação Brasileira da Música Independente (ABMI) visita quatro regiões brasileiras em uma tour trazendo as informações mais atualizadas do mercado.

 

Juntamente com as novas oportunidades digitais, novos desafios surgiram na indústria musical: como se destacar em meio a tanto conteúdo disponível? Como planejar uma estratégia de divulgação criativa, adequada ao perfil de cada artista? Que ferramentas o mundo digital oferece para planejar, executar e medir os resultados pretendidos? Como fazer parte das Playlists famosas? Como os direitos autorais funcionam nos meios digitais? Qual o papel dos agregadores e dos selos neste novo ecossistema? Estas são algumas perguntas que o projeto Giro Digital ABMI 2019 vai abordar.

 

Neste mesmo dia, o Porto+, ,programa de inclusão e valorização de pessoas LGBTI+ do Porto Digital, promove o “Mind the Bee”, uma consultoria para pessoas LGBTI+ que possuem negócios relacionados à área de Economia Criativa. Após a submissão de propostas, uma equipe irá analisar os projetos e realizar uma mentoria com consultores das áreas de comunicação digital, marketing, negócios e design ao longo do dia de forma a modelarem negócios e validarem ideias empreendedoras. Inscrições no link: http://bit.ly/NoAr_MTBee

 

A segunda edição do Coquetel Molotov Negócios se encerra com um bate-papo com a cantora holandesa de ascendência iraniana Sevdaliza, atração do festival No Ar, em um evento promovido em parceria com a Embaixada do Reino dos Países Baixos. A programação é aberta ao público, tendo como prioridade os artistas e produtores da cena local que poderão fazer sua inscrição online pela Sympla.

 

PROGRAMAÇÃO – COQUETEL MOLOTOV NEGÓCIOS 2019
Apolo 235 – Recife Antigo

QUARTA 13/11
Auditório
16h – Palestra com Pedro Vilhena – Parcerias de mídia do Facebook / Instagram em estratégias de conteúdo para artistas e músicos
18h – Lancei o meu disco e agora? Como vender o show com Melina Hickson (Porto Musical), Maurício Spinelli (Romero Ferro), Ana Paula Verissimo (Pessoa Produtora) e Mazili (PE Squad) com mediação de Cássio Uchôa (Universitária FM)
20h – Departameme com Irmã Zuleide (Alvaro Rodrigues) e Aslan Cabral

 

QUINTA 14/11
Auditório
16h – O que é pauta para a imprensa musical? Saiba como os veículos definem quais os artistas de destaque da cena atual com Débora Nascimento (Continente), Tony Aiex (TMDQA), Luccas Oliveira (O Globo) com mediação de Laura Damasceno
18h – Auto gestão e empoderamento da periferia com Bione, Luiz Lins e Ojuara mediado por Lenne Ferreira (Aqualtune Produções)
20h – Eu Toco Recife: Música como vetor de projeção e desenvolvimento para cidades com Dani Ribas (SIM SP) e Patrick Tor4

 

SEXTA 15/11

PORTO +
Sala de Reunião
10h -Mind The Bee – Qualificação de negócios
Suporte para novos empreendedores modelarem negócios e validarem ideias com foco em pessoas LGBTI+ que tenham projetos já existentes dentro da área de Economia Criativa. As propostas serão analisadas e selecionadas pela equipe com mentoria LGBTI+ com atendimento de consultores na área de design, marketing, comunicação digital e negócios.
Inscrições: http://bit.ly/NoAr_MTBee

 

Galeria
16h – Mesa “Protagonismo das identidades trans/não binárias na produção cultural”

 

GIRO ABMI
Auditório
10h – PANORAMA GERAL DO MERCADO – Breve histórico incluindo números atualizados do mercado fonográfico. Palestrante: Carlos Mills / ABMI
11h – PLATAFORMAS DIGITAIS – Ferramentas e melhores práticas para o uso das plataformas para artistas e produtores. Playlists. Palestrante: Maurício Bussab / Tratore
12h30 – Almoço
14h – DIREITOS AUTORAIS – Como funcionam os direitos autorais no ambiente digital. Palestrante: Daniela Colla / DI BLASI, PARENTE & ADVOGADOS ASSOCIADOS
15h – AGREGADORES – Qual o papel dos agregadores no novo ecossistema das plataformas digitais. Palestrante: Leo Morel / iMusics
16h30 – Coffee-break
17h – MARKETING DIGITAL – Planejamento e melhores práticas para campanhas de divulgação na internet. Palestrante: Marina Mattoso / Jangada

Inscrições:https://www.sympla.com.br/coquetel

12 novembro Artistas paraibanos declaram amor e admiração por Benito Di Paula

Yuri Carvalho [Foto: Reprodução]

As dores de amor cantadas por Benito Di Paula, com rimas simples e refrões que colam na memória, já foram acusadas de cafonas por críticos exigentes da MPB. A despeito dos narizes torcidos, o cantor e compositor de Nova Friburgo (RJ) tornou-se o quarto maior vendedor de discos da história fonográfica do Brasil e hoje é considerado um dos grandes nomes do cancioneiro nacional. Prestes a completar 78 anos de idade, ele roda o país com a turnê “Fim de Papo”, que será apresentada ao público pessoense no próximo dia 22, a partir das 20h, no Teatro Pedra do Reino.

 

Entre 1970 e 1980, o autodidata Uday Vellozo (nome de cartório de Benito) gravou 35 discos e vendeu cerca de 60 milhões de cópias, com músicas que sempre estouravam nas rádios da época. Sucessos como “Charlie Brown”, “Sanfona Branca”, “Mulher Brasileira” e “Ah! Como eu Amei”, entre outros, estão marcados na memória afetiva dos brasileiros que viveram esse período – mesmo aqueles que ainda eram crianças, como é o caso do cantor Yuri Carvalho, que liderou a banda AbradOs Zoio e atualmente apresenta, em carreira solo, um show em homenagem a Chico Buarque.

 

Segundo conta, a ligação dele com a música de Benito começou ainda na infância, pois seus pais sempre ouviram o sambista em casa. Na idade adulta, e já dedicado à música, Yuri cantou Benito em canjas e fez até uma versão rockeada de “Retalhos de Cetim” – que ele considera uma das músicas mais bonitas da MPB – com o AbradOs Zoio. “Ele é um dos maiores sambajazzistas do país, um cara que consegue segurar, no piano, a onda do jazz no samba. Isso é uma contribuição tremenda para a música brasileira. Tenho profundo respeito por essa figura, com quem ainda tenho muito a aprender”, diz.

 

A sambista Polyana Resende é outra artista da nova safra paraibana que estende o tapete vermelho para Benito Di Paula. Pernambucana radicada em João Pessoa desde 2002, Polyana vem expandindo a sua presença na cena cultural da capital, especialmente no meio do samba – gênero que sempre curtiu e no qual enveredou nos últimos dez anos. “Benito tocou muito nas festas da minha família, é um grande artista e uma forte referência para mim, faz parte do meu repertório” diz ela, para quem o cantor e compositor é um dos mestres da música brasileira. “Quando ele surgiu, causou estranhamento aos puristas da época, por causa do piano. Mas eu o vejo como um artista de vanguarda, por abrir possibilidades que enriquecem o samba e por ter uma forma de compor muito própria”, defende.

 

Reinventor do samba – “Adoro Benito. Acho que já fui a uns sete shows dele”, começa dizendo o cantor e compositor Chico Limeira, cujas raízes estão em uma família que respira música. Ganhador das duas edições do Festival de Música da Paraíba e criador do que ficou conhecido como “subversamba” (um tipo de samba que tem mais som de teclado e guitarra do que de cavaquinho e percussão), Chico tem uma lembrança emocionante com Benito Di Paula. “Eu e meu irmãos levamos a minha avó para um show dele na Boate da Caixa. Ela quase não saía, mas gostava muito dele, então nós a levamos. Foi um momento muito bom, muito divertido, realmente especial. Como ela não está mais conosco, eu sempre me emociono quando me lembro dessa história”, conta.

 

Da mesma geração de Chico vem Titá Moura, outro cantor e compositor que desponta no fértil cenário musical paraibano e que cresceu em meio às atividades culturais nas quais os seus pais, ambos jornalistas, sempre estiveram envolvidos. Embora admita que não tem Benito como fonte, Titá reconhece a sua importância para a evolução do samba e reclama para ele o mesmo reconhecimento que tiveram os seus contemporâneos da Bossa Nova, famosos por reinventarem o samba moderno. “Ele imprimiu um balanço próprio, uma síntese possível entre a densidade do piano e a leveza lírica do samba-canção”, avalia.

 

Benito Di Paula iniciou a carreira como crooner nas noites cariocas e paulistas, nos anos 1960. Em 1971, o seu primeiro disco, intitulado apenas “Benito Di Paula”, foi censurado por trazer a música “Apesar de Você”, de Chico Buarque. O sucesso veio somente com o terceiro disco, “Um Novo Samba”, que estourou com a música “Retalhos de Cetim”. A partir de então, foram vários anos lotando shows, tocando nas rádios e vendendo discos – ele fica atrás apenas de Roberto Carlos, Nelson Gonçalves e Teixeirinha, em número de vendagem. Autodidata, Benito toca piano e cravo, compõe, escreve poesias e será sempre conhecido por ter inventado um estilo que combina o samba tradicional com o piano, em arranjos românticos e jazzísticos

11 novembro #MusicMonday

Celeste Maia e Felipe Targino

Para iniciar a semana, a nossa editora Celeste Maia convocou o amigo Felipe Targino – conhecido pelo seu bom gosto – pelo “rock classics musics”. Aperta o play e confere o set list elaborado – especialmente para o Selecta clicando aqui!

11 novembro Bell Marques agitou o Bloquinho no Recife

Em sua quarta edição, a festa trouxe de novidades antecipadas, além do local, o formato de palco 360 graus e voltou a entregar serviço open bar aos presentes. Mas a cereja do bolo e guardada a sete chaves foi a primeira parte da apresentação do cantor Bell Marques, estrela da noite: ele surgiu no meio do público no mini trio elétrico onde permaneceu dando duas voltas no palco. Gostou tanto que ja avisou que vai levar o formato a outros shows do Brasil. Antes de encarar a maratona de 2 horas e meia de show, Bell recebeu ainda o vencedor do leilão de uma de suas guitarras e a entregou pessoalmente a Eduardo. O dinheiro arrecadado irá para ONG’s que estão auxiliando na limpeza do óleo das praias brasileiras.

 

A noite de sábado foi vista também como uma grande prévia do que será a Terça-feira de Carnaval do Parador quando Bell voltará ao local junto com Durval Lelys. Anotem aí: 25 de fevereiro também com assinatura de André Gimk, Sílvio Pontual e Henrique Figueira, mesmos produtores do Bloquinho. Em breve eles anunciam também o domingo e a segunda-feira de programações no Parador.

 

Outros showzaços da noite foi a da Timbalada completamente reformulada mas de um batuque de arrepiar, e também o astral da banda Molejo que encerrou a noite. Confira cliques de Luiz Fabiano:

11 novembro Para começar bem a semana

Carol Targino

– Quem está mudando de idade hoje é a querida Carol Targino. Desejamos felicidades!

 

 

– O advogado Marcelinho Braga está com o coração batendo mais forte. O motivo? É a bela Rebeca Lira. O Selecta torce pelo casal!

 

 

– O empresário Hugo Cavalcanti e a linda Sofia Jubert circularam juntos no último fim de semana!

 

 

– Igor Chang e Renata Leitão formam o novo casal de namorados da cidade! Só love!

 

 

 

– Os potiguares Vital Dure e Herculano Júnior passaram o fim de semana curtindo os agitos da capital paraibana. Show!

 

Herculano Júnior é Vital Dure

11 novembro Carlos Frederico participa de evento sobre perspectivas econômicas ao lado do jornalista João Borges

Nesta sexta (08), o advogado Carlos Frederico Farias, do escritório Nóbrega Farias Associados, participou, em São Paulo, de um debate sobre as perspectivas econômicas para 2020. Ele esteve em uma palestra proferida pelo jornalista da GloboNews, o economista João Borges, no Hotel Meliá Jardim Europa.

 

Promovido pela Aliança de Advocacia Empresarial (ALAE), o evento tratou principalmente da Lei da Liberdade Econômica, sancionada no último dia 20 de setembro pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

Para Carlos Frederico, a lei é um primeiro passo em favor dos empreendedores e da desburocratização. Em sua fala, o advogado destacou que é fundamental a conscientização das autoridades do Executivo e do Judiciário para efetivação da lei.

 

“O objetivo da medida é desburocratizar o ambiente de negócios, reduzir gastos para empregadores e facilitar a abertura de empresas. Mas há várias mudanças que mudam o dia a dia dos trabalhadores”, colocou Frederico.

 

A Lei da Liberdade Econômica prevê que somente o patrimônio social de uma empresa pode responder pelas dívidas dela, não podendo, deste modo, ser levado em conta o patrimônio da pessoa física titular da empresa. Além disso, sócios só poderão ter seu patrimônio pessoal usados para indenizações em casos com intenção clara de fraude ou em situações de confusão patrimonial.

 

O advogado lembra ainda que outro dispositivo inserido na lei que facilita o ambiente de negócios: a chamada sociedade unipessoal. O texto sancionado afasta a exigência de constituição de um sócio minoritário que não exerce função efetiva na empresa. Antes, era necessário apresentar no mínimo dois sócios, mesmo um deles tendo apenas uma única cota, para constituir uma empresa. Esta exigência foi extinta com a medida.

 

Na opinião de Carlos Frederico, hoje, é praticamente um ato contínuo o pedido dos juízes para considerar bens pessoais em causas trabalhistas. Com a mudança, isso só poderá ser feito em três condições: fraude, desvio de finalidade (dolo) e confusão patrimonial.

 

“Se uma empresa vier a falir por qualquer outro motivo, os bens dos sócios estarão protegidos. Já em caso de desconsideração devido à fraude, isso só atinge o sócio que praticou a atividade fraudulenta”, ratifica o advogado.

 

Atualmente, o Brasil ocupa a 109ª posição no ranking Doing Business, que trata dos melhores países para fazer negócios. O objetivo da Lei da Liberdade Econômica é tirar do foco do Estado as atividades que não oferecem risco e canalizar a força regulatória para as de alto risco.

 

No debate com o economista João Borges, Carlos Frederico lembrou que a medida vai ao encontro do que se discute em relação ao custo de empreender no país, já que são necessárias inúmeras licenças e um longo caminho burocrático.

 

O advogado citou o caso de um salão de beleza, por exemplo, que precisa de registro na Junta Comercial do Estado, na Secretaria da Receita Federal, na Secretaria Estadual da Fazenda; de cadastros no Sindicato Patronal e na Caixa Econômica Federal; e no Programa de Conectividade Social, caso tenha funcionários; além dos alvarás do Corpo de Bombeiros e de funcionamento da prefeitura.

 

Segundo Frederico, a mudança será benéfica para todos, inclusive para o trabalhador, visto que representa uma oportunidade de aumento da oferta de empregos e um estímulo à economia. “O Brasil é um dos países onde mais se demora para abrir uma empresa, onde a burocracia se opõe à necessidade de desenvolvimento de nossa economia. Desde que a ausência de alvarás não indique falta de fiscalização em atividades relacionadas com alimentação e saúde, por exemplo, quanto mais simples melhor para o empreendedor e para o país”, destaca.

 

Frederico entende que a redução da burocracia para os pequenos negócios é positiva. “Muitos prestadores de serviço não emitem nota fiscal devido à dificuldade de regularizar um CNPJ”, diz. No entanto, o advogado alerta que a mudança pode gerar conflito com os municípios que, por serem responsáveis pela emissão dos alvarás, sofrerão perda de receitas.

Selecta Club no Instagram